Doce de mãe (telefilme)

DOCE DE MÃE
(HD, 70 min, cor, 2012)
(janela 1.77, som 2.0)
 
Foto por Alex Sernambi: Fernanda Montenegro
Dona Picucha (Fernanda Montenegro) tem 85 anos, é viúva e auxiliada por Zaida (Mirna Spritzer) há 27 anos. Sempre bem-humorada, apaixonada por samba e pela cozinha, a doce Picucha reúne os filhos - Silvio (Marco Ricca), Elaine (Louise Cardoso), Suzana (Mariana Lima) e Fernando (Matheus Nachtergaele) - para anunciar que Zaida vai se casar e deixar o emprego. A prole se preocupa, mas a senhora aproveita a oportunidade única de encontrar a liberdade.

Direção Geral e texto final: Jorge Furtado
Direção: Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo

Roteiro: Ana Luiza Azevedo, Jorge Furtado e Miguel da Costa Franco
Direção de Fotografia: Alex Sernambi
Direção de Arte: Fiapo Barth
Figurinos: Rosângela Cortinhas
Montagem: Giba Assis Brasil
Direção de Produção: Bel Merel
Produção Executiva: Nora Goulart

Elenco principal:
Fernanda Montenegro (Picucha)
Marco Ricca (Sílvio)
Louise Cardoso (Elaine)
Matheus Nachtergaele (Fernando)
Mariana Lima (Suzana)
Daniel de Oliveira (Jesus)
Drica Moraes (Rosa)

CRÉDITOS COMPLETOS

CRÍTICA

"Foi impossível não rir com Dona Picucha. Foi impossível não torcer para ela se livrar da acompanhante que a família desejava impor. Foi impossível não vibrar quando ela arma todo um esquema para sua filha solteirona ficar com Jesus. Foi impossível não se emocionar quando ela explica a diferença de cada filho. Foi impossível não torcer para ela existir de verdade."
(José Armando Vannucci, Blog Jovem Pan, 28/12/2012)

"Furtado e Ana Luiza criaram uma personagem deliciosa, que Fernanda Montenegro torna ainda mais cativante. Nos bastidores da Globo, a aposta é de que Doce de Mãe poderá virar série e entrar na grade fixa da emissora.  (...) Com uma pegada meio A Grande Família, Doce de Mãe tem diálogos, trilha, pique e esse elenco afiado, ou em estado de graça."
(Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo, 23/12/2012)

"DOCE DE MÃE inova ao colocar uma senhora idosa no centro da trama e ao discutir um tema frequente na vida real, mas relativamente raro na televisão brasileira: o que fazer com os velhos? (...) A trama deslancha quando sua acompanhante por mais de 20 anos vai embora para se casar. Os filhos discutem entre si quem vai ficar com a mãe, que diz preferir ficar sozinha. O assunto é delicado, mas o roteiro de Furtado e Ana Luiza Azevedo (também diretora do filme) o trata com leveza e humor."
(Tony Goes, Folha de São Paulo, 28/12/2012)

"Se depender do sucesso feito nas redes sociais, Dona Picucha não acaba hoje.  A atração que contou com um elenco afinado e com uma maravilhosa fotografia, merece ter continuídade. Um Doce de Mãe é a atração perfeita para as noites de Quinta, no lugar de A Grande Família."
(Daniel Juliano, Blog "Jovem Olhar", 28/12/2012)